Técnicas Complementares

Rastreamento para Embriões

– Teste genético pré-implantacional para aneuploidias PGT-A

Indicado para famílias com histórico de doenças monogênicas como por exemplo a Fibrose Cística, Síndrome do X Frágil, Doença de Huntington e etc. Estudo realizado no embrião antes da transferência ao útero através de tratamento de Fertilização in Vitro.

Com o estudo genético dos embriões é possível identificar aqueles que estão livres da doença pesquisada.

O PGT-A maximiza as chances de ter um bebê livre de doenças hereditárias graves presentes na família. Pode evitar a maioria das doenças monogênicas e é personalizado com informação genética dos pacientes.

– PGS- Screening Genético pré-implantacional

PGS é um teste genético de diagnóstico realizado em células do embrião com o objetivo de identificar alterações cromossômicas (aneuploidias).

Este diagnóstico genético é feito antes da transferência do embrião ao útero.

O estudo genético dos embriões complementa o tratamento de Fertilização in Vitro aportando informação sobre os embriões cromossomicamente normais.

Como resultado, as taxas de gravidez após a transferência embrionária aumentam significativamente, além da redução expressiva dos casos de abortamento espontâneo.

Transferir um embrião cromossomicamente saudável eleva a chance de gravidez.

Alterações cromossômicas podem ser a causa do aborto espontâneo.

Alterações cromossômicas podem provocar sérias complicações de saúde e qualidade vida do bebê.

Mitoscore

Mitoscore é um biomarcador mitocondrial que indica o status energético do embrião.

Permite identificar entre os embriões cromossomicamente normais aqueles com maior potencial de implantação.

Aumenta as possibilidades de resultado positivo do tratamento de FIV com PGS.

Aumento das taxas de implantação e gravidez dos tratamentos de FIV.

Redução de gestações múltiplas.

Estudo genético realizado com a mesma amostra coletada para o PGS sem a necessidade de trabalho adicional para o laboratório de embriologia.

Assisted Hatching

A microassistência para a implantação do embrião facilita a implantação do embrião no útero materno (o grande desafio da reprodução assistida). Por diversos motivos, entre eles a idade do óvulo, a zona pelúcida – uma camada que protege o embrião – é, às vezes, muito resistente, dificultando assim a implantação: o embrião não consegue “sair da casca”. A técnica de “Assisted Hatching” é, portanto, uma microcirurgia dessa cápsula embrionária, que pode ser realizada com meios químicos ou mecânicos, ou com o uso de raio laser. Com quaisquer ferramentas, o objetivo é abrir uma passagem para o embrião, uma pequena “janela” na zona pelúcida.

Fale conosco!














SimNÃO